quinta-feira, 12 de novembro de 2015

A FOTO

"Eu escrevo de tantos jeitos, de frases soltas, poemas eróticos a contos históricos. Mas quase nunca tem haver com meu peito cheio de dores e do meu batom do mesmo tom... que meus amores".

Ele pediu, com os lábios no meu peito, mas com todo jeito,
Para imaginar o que ainda não aconteceu...
Numa amizade que dissimulávamos que o tesão não existia. Caminhar no fim do dia.
Combinando como seriam as fotos, retratadas sem roupa, mostrando o SEXO que ele veria antes mesmo de tocar.

Grudou em meus lábios na primeira oportunidade. Mostrei os seios, toquei seu membro, mas nada passou de um passeio no domingo ensolarado.
Talvez fosse assim o fim. Nem mais e nem menos.
Por um ápice, o desejo. Mas o tempo desconcentra. Esfria.

Depois de tantos desencontros, enfim a tarde se prolongou até a noite.
Uma entrega extravagante. Aconteceu de repente, na segunda-feira impertinente.

Vem... quero te sentir dentro de mim.
Olhou-me, daquele jeito um tanto desconfiado.
Nunca me falaram assim...

Eu preocupada com o tamanho dos meus seios, e ele concentrado na minha bunda.

Memorizando cada momento e unicamente
Cada pose.
Os flashes disparados em sua mente.

Fiz o que seu olhar me pedia
Me pus na posição que ele mais queria.
Para que a foto fosse registrada.

E consumada.

.

"Viva com intensidade cada momento, ele pode ser único"

Um comentário:

  1. menina que lindo, sensivel e verdadeiro, nós mulheres somos complicadas viu, bjs

    ResponderExcluir