segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

SUA COMPANHIA PELA ÚLTIMA VEZ


Adorava o cabelo de 3 tons. Mas não eram as mechas que lhe davam o charme. Nem os olhos grandes acastanhados.
Seu charme estava no jeito de levar a vida.
Ele a tinha até do avesso se quisesse. E sempre queria.
Mas começou a perdê-la dentro do quarto, esquecê-la do outro lado da linha e a caixa de entrada do e-mail sempre vazia.
Era perfeita, tolerava a grosseria e sabia dividi-lo tão bem numa cama.
Mas a cobrança não era feita em forma de palavras. Então ele só soube tarde demais.
Tinhosa e teimosa. Observando cada olhar dele perdido em outros decotes, as mãos deslizando silhuetas não tão macias, tinha no semblante a certeza que o sexo intenso lhe pertencia.
Persistiu.
"Amor",  descobriu que tantas outras escutaram dos mesmos lábios. Do único lábio que experimentava toda noite seu sexo.
E a cada ato de luxúria foi deixando de ser a atriz principal para uma coadjuvante espectadora.
Perfeita também quando o momento pedia perversidade. Juntou a auto-estima que deixou passar despercebida enquanto magoava-se. Levantou-se com primazia e sem prevenir seu homem cometeu a crueldade.
Confiante no amor unilateral de sua Deusa, perdeu-se no seu egocentrismo.
Quando uma saudade intensa surgiu não encontrou o olhar apaixonado, o número do celular era inexistente e todos os e-mails voltavam com uma punhalada no peito.
Como se ela nunca tivesse existido.
Sem a chance de uma chance. Encolerizou-se em seu ego.
Sem perdão, sem voltas. Nem o consolo de uma última lembrança.

Porque não sabia quando foi a última vez. Ele nunca ouviu uma voz reclamando ou um olhar reprovador. Mas o silêncio que tanto dizia e a ausência daquela que muito tarde descobriu amar, não poderia ser pior castigo.

E agora não tinha quem desprezar...

POSTADO ORIGINALMENTE DIA 29/04/2011

13 comentários:

  1. Esse está perversamente doloroso, daí surgem as vinganças maquiavélicas.

    ResponderExcluir
  2. Jogo de gêneros opostos: um guarda território, a outra purifica sedução...
    Como conciliar os limites dos opostos: saudades nuas e cruas liberdades?
    Pelo menos houve um intenso dois, um denso para se arrepender depois...
    E quando não há nada além de uma cerveja gelada agasalhando o coração?
    Não ter voltas é melhor que uma vida reta sem nenhuma gota de vontade?
    A dor mais difícil é a que machuca sem ter existido, porque nunca foi!
    Bjs Miro

    ResponderExcluir
  3. Conto ou verídico adoreiii ...

    Beijos... muitos!!!

    ResponderExcluir
  4. VAMPIRA DEA: Mulheres são sempre maquiavélicas. Bjs

    MIKROPOESIAS: Quem sabe dor maior seja aquela que não tem com quem ou que sofrer, chorar e ter emoções. Bjs

    JOTA ENE: Conto. Vou pegando coisas que ficam no ar, de um e de outro e juntando na minha imaginação um tanto perversa.

    ResponderExcluir
  5. Não é um recado
    Não é um recado
    Não é um recado pra mim...
    Não é um recado...

    Porque não acredito em recados ou indiretas, portanto

    Não é um recado
    Não é um recado

    ResponderExcluir
  6. Muito bom, bastante intenso, gostei! bjos

    ResponderExcluir
  7. Pelo comentario nao é conto é veridico!
    AI QUE MEDO. BEIJOS

    ResponderExcluir
  8. ANÔNIMO: É um recado para todos os homens que não cuidam de seus amores.

    REIFFER: Obrigada:)

    ANÔNIMO: Verídico é o meu talento em conseguir confundir a cabeça de vcs a ponto de achar que não é um conto.

    ResponderExcluir
  9. A melhor vingança é a indiferença, sempre!
    Adorei o texto! Bj.

    ResponderExcluir
  10. Uma semana de muito gozo!
    Bjsss
    Leo.seximaginariuM

    Vc já contratou um garoto ou uma garota de programa?
    Comente, Conte para nós lá blog
    www.seximaginarium.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Eu bem que tentei, mas na hora "H" ela desistiu.

    Será que sou eu o problema????

    ResponderExcluir
  12. DITA: A indiferença é cruel! Que bom vc por aqui!Bjs
    LEO: Boa semana p vc também.
    ANÔNIMO: O que vc tentou?

    ResponderExcluir